O GitHub é uma rede social de desenvolvedores. O nome “Git” vem da utilização do sistema de controle de versão e “Hub” está relacionado à conexão entre os profissionais de programação de todo o mundo. Muitas pessoas ainda não conhecem bem essa plataforma, então, que tal entender o que é e como funcionam GitHub e GitHub Actions?

O GitHub é uma das maiores plataformas online de trabalho colaborativo do mundo, sabia? Ele é indicado para que usuários compartilhem seus projetos, permitindo que qualquer pessoa trabalhe paralelamente neles. O GitHub Actions, por outro lado, chega como um orquestrador de workflow que vale a pena conhecer.

A seguir, saiba tudo sobre GitHub e GitHub Actions e veja como utilizá-los!

O que é GitHub e qual é sua importância?

O GitHub é uma plataforma online que facilita e otimiza o trabalho em equipe. Quando falamos de um site ou software que precisa ser criado em conjunto, ela ajuda na gestão do projeto.

Ela também está disponível para empresas (GitHub Enterprise), permitindo o gerenciamento do trabalho em equipe de forma inteligente.

Com essa plataforma, extremamente segura, toda a equipe pode trabalhar ao mesmo tempo, de lugares diferentes do mundo. Ela é uma grande aliada da automatização do fluxo de trabalho e seus recursos ajudam no desenvolvimento dos projetos.

Como usar o GitHub

GitHub

Para usar o GitHub é preciso ter uma conta pessoal ou de equipe na plataforma. Há os tipos de conta gratuita, para usuários individuais, ou as destinadas a equipes que usam código aberto.

Para criar uma conta no GitHub, entre na ferramenta e preencha os dados solicitados. Em poucos minutos, você receberá um e-mail de confirmação para começar a usar a plataforma.

O que é o GitHub Actions?

Feature do GitHub, o GitHub Actions facilita o processo de automatização de builds e deploys aos sistemas, já que tudo estará no mesmo repositório.

Antes de sua chegada, muitas pessoas usavam o GitHub apenas como um repositório de código-fonte. Quando precisavam fazer algum processo de build ou deploy, faziam a orquestração com outras plataformas, como Azure DevOps Services, Jenkins, etc.

Agora, é possível fazer tudo dentro do próprio GitHub usando o GitHub Actions. Esse orquestrador de workflow, pois permite construir um workflow com várias ações para determinar os passos necessários para compilar, testar, empacotar, criar releases e até fazer deploy do sistema.

O GitHub Actions permite implementar as técnicas de CI e CD de forma simples dentro do repositório, dispensando integrações com outros sistemas.

É possível, ainda, usar agentes próprios do GitHub, sem precisar criar ambientes específicos para executar os workflows de CI e CD. Isso agiliza o processo de configuração e execução dos workflows, reduzindo o custo de implantação.

Quais são os componentes do GitHub Actions?

O GitHub Actions possui os seguintes componentes:

Workflow:

Lugar em que se descreve todo o processo de automação para compilar, testar e fazer deploy do sistema;

Actions:

tarefas que serão usadas dentro do workflow. Aqui, define-se o que o workflow vai fazer;

Runners:

máquina responsável por executar o workflow e as actions, prevendo um feedback do processo. O Runner pode ser o GitHub-hosted, provido pelo próprio time ou self-hosted runner.

De forma resumida, GitHub Actions são orientados por eventos, o que significa que você pode executar uma série de comandos após um evento específico ocorrer.

Exemplo: sempre que alguém cria um pull request para um repositório, você pode executar automaticamente um comando que executa um script de teste do software.

Diferenças entre o GitHub Actions e o Azure Pipelines

GitHub

hnz-consultoria-e-treinamentos-blog-atualizando-o-devops-com-devsecops

O GitHub Actions e o Azure Pipelines têm semelhanças de configuração. Ambos permitem criar fluxos de trabalho que automaticamente criam, testam, publicam, lançam e implantam códigos.

Algumas semelhanças entre ambos são:

  • Arquivos de configuração do fluxo de trabalho são gravados YAML e armazenados no repositório do código;
  • Fluxos de trabalho incluem um ou mais trabalhos;
  • Trabalhos incluem uma ou mais etapas ou comandos individuais;
  • É possível reutilizar e compartilhar novamente etapas ou tarefas com a comunidade.

As principais diferenças entre Azure Pipelines e GitHub Actions incluem:

  • O Azure suporta um legado do editor clássico, que permite definir a configuração de CI em um editor GUI em vez de criar a definição do pipeline em um arquivo YAML. O GitHub Actions usa arquivos YAML para definir fluxos de trabalho e não é compatível com um editor gráfico;
  • No Azure Pipelines, é possível omitir algumas estruturas nas definições de trabalho. Por exemplo, se você tem apenas um único trabalho, não é necessário definir o trabalho. Você precisa definir apenas as etapas. O GitHub Actions requer configuração explícita e não é possível omitir a estrutura do YAML;
  • O Azure Pipelines é compatível com as etapas definidas no arquivo YAML, que pode ser usado para criar fluxos de trabalho de implantação. O GitHub Actions exige a separação das etapas em arquivos separados do fluxo de trabalho do YAML.

Que tal conhecer melhor e passar a usar o GitHub e o Github Actions? Podemos te ajudar nisso!

Newsletter HNZ

Fique por dentro de nossos conteúdos se cadastrando na nossa newsletter semanal! Clique aqui!

HNZ

HNZ

Leave a Reply