O trabalho dos líderes de TI envolve motivar, engajar e estimular resultados nos times. Há, neste trabalho, alguns desafios de comunicação.

Profissionais de TI de todos os níveis enfrentam inúmeros desafios no dia a dia de trabalho. A maioria das organizações com a chegada da pandemia, direcionou o trabalho dos colaboradores, cliente e fornecedores em forma remota, com mecanismos de comunicação virtuais, sendo que esta alternativa ainda não tinha sido desenvolvida na maioria destas,  alguns pontos que antes estavam ainda em fase de testes, fazendo com que os profissionais de liderança tivessem pela frente diversas barreiras a serem rompidas no que diz respeito à comunicação.

Além de estabelecer novas bases técnicas para criar um ambiente de trabalho revigorado, os líderes de TI se deparam com o desafio de implantar o ambiente híbrido de trabalho. Há, ainda, a questão de equilibrar orçamentos e reter talentos. Tudo isso misturado a novas prioridades e a necessidade de estabelecer uma comunicação eficiente entre todos.

Entender os desafios da liderança de TI e como transpor essas barreiras atualmente é essencial para aprimorar resultados e ter uma equipe unida e eficiente. Dá uma olhada!

Prioridades do líder de TI e desafios atuais

hnz-consultoria-e-treinamentos-blog-prioridades-do-lider-de-ti-e-desafios-atuais

A liderança de TI se depara, cada vez mais, com dilemas que estão alinhados às mudanças globais trazidas pela pandemia e pela transformação digital.

As principais mudanças e desafios giram em torno de:

  • Adoção de novas tecnologias;
  • Transformação digital;
  • Necessidades de contratação e grande trânsito de profissionais entre empresas;
  • Cultura do local de trabalho.

Com base neste cenário de incertezas, inovação e desafios constantes, é preciso ter líderes de TI com cada vez mais habilidade para lidar com pessoas. E isso inclui entender que muitos profissionais administram pressões constantes e intensas e, por vezes, estão esgotados.

Algo exigido das lideranças de TI hoje em dia é pro atividade e capacidade de considerar as necessidades de seus times. Empatia e compreensão são termos mais do que necessários. Algo feito por muitas empresas de TI é a escolha de mentores de vários departamentos para criar um sistema que incentive a colaboração. Líderes de TI também precisam conceder às suas equipes flexibilidade para se ausentarem do trabalho quando necessário, priorizando sempre sua saúde pessoal e mental.

Você sabia, por exemplo, que mais de dois quintos dos funcionários de empresas no Reino Unido dizem que já cometeram erros que comprometeram a segurança cibernética da organização para as quais trabalham?

Pesquisadores da Universidade de Standford analisaram o que leva as pessoas a cometerem erros que comprometem a segurança. O estudo mostrou que funcionários estressados têm maior tendência ao erro e que um terço das pessoas entrevistadas raramente ou nunca pensam na questão da segurança cibernética quando estão no trabalho.

Este é outro desafio das lideranças de TI, que precisam administrar as cargas emocionais e profissionais de seus times. Para fazer isso, é preciso fazer uma gestão de pessoas que valorize as diferenças e as perspectivas de cada um.

O time precisa ser coeso, diverso e tecnicamente capaz de entender a complexidade das mudanças, das crises e das oportunidades. E uma comunicação eficiente é essencial para garantir que isso aconteça.

Como as lideranças de TI podem melhorar a comunicação com suas equipes

Líderes de TI

hnz-consultoria-e-treinamentos-blog-dicas-de-como-as-liderancas-de-ti-podem-melhorar-comunicacao-com-suas-equipes

Veja, a seguir, 5 dicas de como as lideranças de TI podem melhorar a comunicação com suas equipes!

1. Adotando a cultura do feedback construtivo

O feedback é um instrumento eficiente para manter uma comunicação aberta entre líderes e liderados. Quando ele é bem feito, permite que o gestor mostre os acertos e os pontos que devem ser aprimorados, além de como isso pode ser feito.

Um bom líder de TI precisa fazer esses comentários e críticas construtivas em particular para não gerar constrangimentos. Elogios podem ser feitos em público, pois motivam a equipe e geram um clima saudável de competição. Uma contribuição do Lean e DevOps neste sentido é evitar a cultura da culpa, a discussão contrafactual na procura da causa-raiz e estimular uma organização de aprendizagem, reflexão e melhoria.

2. Investindo na comunicação de mão dupla

Uma boa liderança de TI precisa ter a habilidade de se expressar de maneira clara. Isso ajuda no momento de repassar estratégias e planos de ação. Entretanto, mais do que apenas falar, saber ouvir é igualmente importante.

Líderes de TI devem prestar atenção ao que os outros têm a dizer e quais valores podem agregar aos processos, melhorando resultados. Esta comunicação de mão dupla é indispensável para garantir um bom relacionamento e resultados exponenciais.

Para conseguir isso, algumas atitudes básicas podem ser tomadas:

  • Ouvir as necessidades, queixas e expectativas dos liderados;
  • Estimular o desenvolvimento de cada um na empresa;
  • Adotar o “job rotation”, permitindo que todos os profissionais tenham a oportunidade de aprender sobre novos processos periodicamente;
  • Delegar as tarefas de acordo com o perfil, as competências e habilidades de cada um.
  • Providenciar estratégias colaborativas para disseminar conhecimentos no time e aumentar sua autonomia, facilitando disciplinas técnicas de estabilidade das soluções, e assim evitar a tensão do dia a dia.
  • Criar mecanismos de adoção de ferramentas e automação com maior independência dos times na escolha e adoção destas.

3. Trabalhando a empatia

Lideranças de TI, especialmente nos tempos em que vivemos, precisam exercitar a empatia, aprendendo a se colocar no lugar do outro, e mais do que isso, estimular a confiança e transparência para acolher as dores e problemas dos outros para providenciar soluções concretas. É preciso, ainda, entender suas limitações, expectativas e emoções que podem impactar o desempenho de cada um na empresa.

Um gestor que escuta seus liderados tem uma visão mais ampla sobre a melhor abordagem para lidar com cada um. Essa estratégia explora o que cada um tem de melhor e trabalha as questões que possam prejudicar os resultados.

Grande parte dos problemas, dores e sintomas está sustentada na maneira como medidos o desempenho (seja individual ou pelo próprio silo ou departamento) e na maneira como separamos as atividades do dia a dia dos colaboradores, fracionando a visão sistêmica, de maneira isolada. Silos trabalham em ótimos locais, perdendo a possibilidade de aumentar sua influência para soluções integradas do negócio, gerando uma grande tensão nos colaboradores. Líderes podem olhar para esse desequilibro de tensões, materializado no mal-estar e dores do dia a dia, podendo influenciar mudanças positivas na organização.

4. Compartilhando conhecimento

Líderes exponenciais e motivadores de TI, além de exercitarem uma boa comunicação com seus times, precisam disseminar conhecimento.

Quando um líder se dispõe a ensinar o que sabe para a sua equipe, providenciar que o conhecimento dos especialistas transite em todas as direções, estimular disciplinas e práticas pareadas, juntas equipes dispersas para provocar reflexões e melhorias, todos se tornam mais qualificados e passam a executar o serviço com mais qualidade e eficiência.

Vale, ainda, estimular a troca, para que os colaboradores mostrem suas vivências e as razões pelas quais acreditam que determinada solução é melhor do que outra.

No menos importante é destacar que grande parte do conhecimento que transita nos especialistas pode ser automatizado para evitar que os colaboradores fiquem expostos a trabalhos repetitivos, atividades críticas e frágeis no dia a dia. Essa representação automatizada da organização da expertise ajuda também a estabilizar o ambiente de trabalho, baixar a tensão, aumentar a visibilidade, a melhorar com o aprendizado diário e a estimular a colaboração e evolução.

5. Deixando metas claras e estimulando ideias

Líderes de TI têm o desafio de definir e repassar as metas com clareza a todos da equipe. É preciso deixar claro onde se espera chegar e qual caminho deve ser percorrido. Isto deveria ser estímulo para uma maior afinidade, a força de engajamento dos times, da identidade dos colaboradores, sempre que estas metas em equipes multifuncionais esteja relacionada com os resultados esperados da organização.

É importante estipular metas realistas e condizentes com o momento da empresa, bem como as tendências de mercado. Metas ambiciosas estimulam o esforço, mas, se não forem atingidas, podem gerar desmotivação no time.

Uma forma de garantir que a inovação esteja sempre presente é incentivando os colaboradores a apresentarem ideias ou soluções para problemas rotineiros do trabalho.

O Brainstorm é sempre bem-vindo por bons líderes de TI, que precisam deixar as pessoas livres para exporem suas ideias. A comunicação, aqui, é essencial.

Comunicação, feedbacks e reconhecimento são pontos essenciais para manter uma equipe de TI engajada e papel essencial das Lideranças de TI. Vale a pena investir e aprimorar essas habilidades!

HNZ

HNZ

Leave a Reply