No artigo de hoje, vamos falar sobre alguns mitos que rondam sobre o que é DevOps.

Como DevOps é algo muito novo nas organizações brasileiras, muitos profissionais acabam ainda não entendendo direito sobre o que é DevOps. A partir de uma comunicação não muito assertiva, também podem ser criados mitos em torno do tema, fazendo as pessoas chegarem a diversas conclusões equivocadas sobre do que se trata DevOps.

O que não é DevOps?

hnz consultoria e treinamentos blog o que nao e devops mitos e equivocos sobre o tema imagem interna

Cada vez que procuramos bibliografias sobre o tema, nos primeiros capítulos já temos de encontro os autores explicando o que não é devops. As vezes é mais fácil definir algum conceito a partir do que o que ele não é. Ou seja, DevOps não é uma equipe, não é um professional, não é uma automação, não é uma moda, não é uma cultura da culpa e assim por adiante.

Vamos mencionar alguns equívocos abaixo sobre o que não é DevOps:

DevOps é uma continuação da agilidade

Baseado em grande parte no agile, o DevOps, no entanto, estende as ideias de desenvolvimento ágil à produção ágil em toda a TI, toda a organização, todo o processo e toda a cadeia de valor. Obter valor e retorno efetivos na empresa a partir do devops requer mudanças culturais mais significativas na empresa do que normalmente acontece no agile.

Os objetivos estabelecidos para DevOps não se limitam apenas a acelerar a entrega. Há também a necessidade de reduzir a dívida técnica e eliminar a fragilidade. Lembrando que só através de soluções estáveis e solidas podemos ter agilidade e rapidez de entregas. Essa estabilidade é conquistada a muito esforço técnico na mudança dos ambientes tradicionais.

As ferramentas fornecerão o próprio DevOps

Embora as soluções individuais de software sejam amplamente adotadas, não há e não pode haver uma lista universal de software DevOps obrigatório.

O DevOps depende da disponibilidade e eficácia de certas ferramentas de automação, mas estritamente falando, o conjunto mínimo dessas ferramentas pode ser reduzido à:

  • Sistema de controle de versão (para armazenar todos os código-fonte)
  • Dados de configuração da infraestrutura de TI
  • Sistema de automação de pipeline de entrega de software
  • Qualquer implementação específica do DevOps pode acontecer independente de software

Ferramenta passa ser o instrumento principal para alavancar DevOps, mas ele não é DevOps. A famosa frase de Christopher Little ilustra bem isso “DevOps não é sobre automação, assim como a astronomia não é sobre telescópios”

DevOps é um soldado universal, capaz de codificar, criar testes, implantar ambientes e manejar a infraestrutura

O DevOps é uma mudança profunda nos fundamentos do departamento de TI, o que não pode ser feito contratando vários engenheiros de DevOps ou convidando gurus do DevOps. DevOps justamente tenta fugir dessa cultura do “super herói”.

A capacidade de implementar um pipeline de entrega de software não garante o sucessos do mesmo e é improvável economizar custos apenas aplicando essa prática do DevOps.

DevOps é uma cultura

Não é apenas isso, existe os 5 pilares do devops, que é o famoso CALMS (Cultura, Automação, Lean, Medição, Compartilhamento). Não é do dia para a noite que você conseguirá tirar da organização uma cultura que foi se formando durante o tempo, muitas vezes em cima do julgamento, do erro, da culpa. A cultura que deve ser adotada em uma organização DevOps, é uma cultura generativa, da colaboração, onde inclusive o conhecimento rode por diferentes áreas.

O engenheiro devops

O Engenheiro DevOps está sendo um dos cargos mais procurados no mercado quando se fala de profissionais de TI. Além de ser um paradoxo em relação à demanda, aparentemente está muito claro o que se entende por ele. Encontramos na Internet dicas de como se tornar um, quanto ganham e quais os percursos para ter um bom desempenho. Geralmente são exigidas competências técnicas muito profundas (ou seja, conhecer várias ferramentas equivalentes, de vários fornecedores para disciplinas específicas) como amplas conjunto deles (dominar todo o ciclo de vida, com um conjunto amplo de ferramentas para todas as disciplinas do DevOps). Dá a impressão que surge um novo herói em TI, alguém que realmente resolva tudo, conhece todas as ferramentas de mercado e ainda mais, sabe tirar o melhor proveito delas.

Neste modelo se apresenta um perfil de profissional que passa a ser um novo “herói”, que sabe fazer tudo e muito mais, que trabalha em um silo, e responde em forma isolada frente a automação de tudo. Esta definição já é um anti-padrão DevOps já que estimula isolamento e não integração, que super-especializa e não desenvolve competências em times e o responsabiliza pelo sucesso do DevOps, tendo suas mãos atadas devido à pouca influência no restante da organização.

O Engenheiro DevOps visto da maneira de cargo, será delegado uma responsabilidade imensa de melhorar a TI, sendo que eles só ter poder de decisão restrita frente ao ferramental. DevOps é mais uma adaptação das práticas tradicionais do que a automação deles. a Automação é consequência. Como dizia Patrick Debois, conhecido como o padrinho do DevOps, DevOps é principalmente um problema humano.

Esses são apenas alguns mitos que rondam o tema, mas existem diversos outros! Se você quiser saber um pouco mais, nós fizemos uma live com o tema “O que não é devops” e temos um curso gratuito sobre “O que é DevOps”. Confere lá e entenda de uma vez por todas o que realmente é DevOps!

HNZ

HNZ

2 Comments

Leave a Reply