Scrum é um termo cada vez mais falado nas companhias. Parte do Agile, ela basicamente se trata de um framework para gerenciamento ágil de projetos de desenvolvimento de software. Entretanto – e é importante destacar isso – o Scrum não e aplica apenas a softwares, englobando diversos tipos de projetos.

Empresas que fazem uso de boas práticas de gerenciamento de projetos utilizam e conhecem o Scrum. É comum, no entanto, que haja dúvidas sobre o que é e como funciona esse método, que traz grandes benefícios à rotina organizacional.

Quer entender melhor o que é Scrum e para que serve? Acompanhe as nossas dicas!

O que é o método Scrum

Criada por Ken Schwaber e Jeff Sutherland, ambos desenvolvedores, o método Scrum é utilizado para gerenciar projetos ágeis. Ele é estruturado com times pequenos e multidisciplinares, priorizando os feedbacks constantes e colaboração de todos.

Quando se adota esse processo, os resultados de projetos são mais eficazes e alinhados às demandas existentes, entregando novidades de forma contínua. Além disso, há maior alinhamento de expectativas entre os membros de um projeto, o que reduz as chances de insatisfação ou retrabalhos.

O Scrum se estrutura sobre algumas bases, indispensáveis para que o trabalho flua de maneira eficiente e gere os resultados esperados. São elas:

1. Autogerenciamento

O Scrum prevê responsabilidades bem definidas para cada membro da equipe. Isso facilita o andamento dos projetos, pois permite que cada profissional conheça suas tarefas e obrigações, atuando de forma mais autônoma, sem necessitar de cobranças.

Falando sobre os papeis de cada um no time dentro do Scrum, são eles:

  • Product owner
  • Team (equipe de desenvolvimento)
  • Scrum master

2. Agilidade

Como se trata de um método ágil, o Scrum acompanha a velocidade das entregas, atendendo, ao mesmo tempo, as necessidades do cliente. Só se atinge essa agilidade porque o Scrum “quebra” os objetivos maiores em diversas etapas (sprints), que podem durar de dois a cinco semanas.

3. Foco no que importa

O Scrum prioriza os pontos essenciais de um projeto, ou seja, o que mais gera valor ao cliente. Para fazer isso, a empresa deve focar na implementação das necessidades mais importantes do software ou do produto. Eles são mantidos em uma lista conhecida como product backlog.

4. Reuniões de alinhamento diário

Reuniões pontuais e curtas fazem parte da parte da filosofia de agilidade e de feedbacks constantes do Scrum. Nesses momentos, os membros da equipe compartilham o andamento de suas tarefas, tratando possíveis atrasos e impedimentos para alinhar esforços para cumprir os compromissos e metas.

Por outra parte na reunião de planejamento no início da Sprint, o product owner prioriza os itens do product backlog para o desenvolvimento, e a equipe seleciona e estima esforços para dimensionar o que consegue implementar, em um foco de compromisso de trabalho na sprint.

5. Estrutura enxuta

É preciso usar um número limitado de participantes por projetos. Em geral, no Scrum, cada time de projetos é formada por aproximadamente entre cinco a nove professionais.

6. Colaboração

No Scrum, os clientes podem ser parte da equipe de desenvolvimento, colaborando e gerando o melhor resultado. Assim, o retrabalho da equipe diminui bastante, já que os principais interessados no produto acompanham sua criação de perto.

7. Transparência

Um modelo Scrum não pune os colaboradores por erros ou dificuldades. Dessa forma, todos se sentem incentivados a compartilhar seus problemas e dificuldades com a equipe. Assim, há mais agilidade e menos estresse.

8. Adaptabilidade

Quando se inicia um novo projeto ou se identifica uma oportunidade de mercado, a equipe não deve se apegar à ideia de obter respostas definitivas. O Scrum prega que possibilidades de solução iterativa e incremental para o desenvolvimento de um projeto devem ser desenvolvidas e testadas sempre para colher feedbacks e mudar os caminhos o quanto antes, se necessário.

Para que serve o Scrum

Hoje em dia, grande parte das organizações têm o objetivo de melhorar a eficácia de suas equipes, reduzindo desperdício de tempo e de recursos. Quem pretende se manter competitivo tem a obrigação de entregar produtos e serviços de qualidade, que entreguem valor, além de encantar seus clientes.

Como o mercado funciona em ritmo acelerado, é essencial identificar oportunidades e desenvolver soluções em períodos curtos de tempo. O Scrum serve exatamente para isso, elevando a vantagem competitiva de um negócio.

De forma resumida, o Scrum atua nas seguintes frentes:

  • Gerenciamento de produtos;
  • Alcance dos objetivos definidos nas etapas de planejamento;
  • Maior alinhamento entre os times;
  • Redução de desperdícios;
  • Melhor resultado final

Para que seja adotado, o Scrum requer que algumas etapas sejam cumpridas. A primeira delas é designar papeis para que o fluxo de trabalho funcione bem. Isso só pode ser feito com a avaliação do perfil da equipe e do projeto.

Na sequência, é preciso listar prioridades de demandas e objetivos, organizando rotinas e melhorando o posicionamento da empresa. É necessário, para isso, fazer uma comunicação ativa com os envolvidos no projeto para atender suas demandas e necessidades.

Uma próxima etapa é o planejamento dos sprints, definindo esforços para sua execução, envolvidos e suas responsabilidades, bem como as ferramentas necessárias. O Sprint Review permitirá analisar o produto desenvolvido para alinhar próximos objetivos de sprints, calibrando o backlog. O Sprint Retrospective permitirá que o time avalie o que deu errado e o que deve ser replicado.

Reuniões regulares, base forte para que os times trabalhem, com boas ferramentas tecnológicas e autonomia, são outros pontos importantes para que o Scrum seja implementado da melhor forma, inclusive a possibilidade de expandir sua eficiência com DevOps.

Conclusão

Se bem utilizado e disseminado para todos de uma empresa, o Scrum é um método que traz grandes benefícios e pode representar mais agilidade, eficiência e qualidade aos projetos. Vale a pena investir nele!

HNZ

HNZ

Leave a Reply